DNS (Named) facilmente no FreeBSD

Introdução

Muitos usuários que pretendem colocar um domínio no ar, ficam praticamente perdidos, na hora de configurar os seus servidores DNS. Configurar o DNS, requer pelo menos o conhecimento de seu “modus operandi”. Explicarei, passo a passo, a forma mais prática e rápida de configurar o DNS, para funcionar tranquilamente na suarede. –

Como funciona o DNS?
O DNS, funciona da seguinte maneira:
Todo site ou host, possui um IP na internet. O DNS traduz, o seu ip para um endereço em formato de string.
Exemplo: Usando o nslookup – nslookup bsdpe.teste.com.br
Name: bsdpe.teste.com.br
Address: 66.200.200.97
Como você pode perceber, o nosso site possui um IP. Então, o nosso servidor de DNS, publicou para toda a Internet, que possuimos dentro deste host , este ip.
Certo, agora você já sabe como funciona basicamente o DNS.

Configurando o DNS no FreeBSD
Os arquivos de configuração do named, ficam normalmente, dentro da pasta “/etc/namedb”. Para configurar os arquivos, você deve estar logandos-se como root.
Normalmente, você precisa mexer para cada domínio novo, em dois arquivos, o named.conf e o arquivo da sua zona.
Lá dentro do seu arquivo do named, você vai ter essas linhas:
options {
directory “/etc/namedb”;
version “Named 6.6.6”;
statistics-file “/var/log/named.stats”;
dump-file “/var/log/named.dump”;
};
O que significa isto? São os parametros de opções que você pode setar para o seu named, acima nós temos o diretório onde estão os arquivos, a versão, que por um acaso eu alterei, para evitar que pessoas mal intencionadas saibam a versão do named, podendo se setado para qualquer valor.
Temos também o arquivo de estatística, e o de dump.
Normalmente, você pode usar o padrão que estou colocando.
logging{
category lame-servers{
null;
};
};
Estas opções são as opções de log, estou dizendo que os servidores mal-configurados não devem ter suas mensagens de erros logadas no meu servidor.
key “rndc-key”{
algorithm hmac-md5;
secret “jRt3wd1fmqu+GRcfPq4DAQ==”;
};
A chave secreta do meu “named”, a grosso modo pode-se usar esta.
zone “.” {
type hint;
file “named.root”;
};
Aqui está a zona “.”, ou seja, a zona raiz da internet, apontando para o arquivo que deve ser lido, no caso o named.root.

Agora, vem a parte “boa” da história, a configuração de seu domínio.
zone “bsdpe.teste.com.br ” {
type master;
file “bsdpe.teste.com.br “;
allow-transfer{
66.246.212.96;

};
allow-query{
any;
};
};
Zone, como nome diz, é a zona a ser configurada, normalmente você coloca o nome de seu domínio.
Type, é o modo de operação de seu named, se ele é o master (principal) ou slave (secundário).
Quando você configura o seu servidor slave, que é o secundário, nao é necessário fazer o procedimento abaixo e basta liberar ele dentro do allow-transfer dentro de seu servidor master. Não esqueça de apontar o seu servidor master dentro da linha masters.
zone “bsdpe.teste.com.br ” {
type slave;
file “bsdpe.teste.com.br “;
masters{
66.246.212.96;
};

allow-query{
any;
};
};
File é o arquivo dentro da pasta “/etc/namedb” onde estarão as configurações do meu domínio, no caso gnx.com.br
Allow-transfer seria o(s) servidor(es) slave que podem acessar meus arquivos.
Allow-query é o parametro utilizado para liberar o uso do meu DNS por qualquer computador, para resolver os nomes.
Agora, vamos para a segunda etapa, que seria o arquivo onde há a configuração de seu domínio.
==teste.com.br == (arquivo de zona)
Este arquivo é só um exemplo, se você quiser pegar os arquivos para testar, no fim do artigo estarão os links para download.
$TTL 86400 – Time to Live, é o tempo de atualização do named (em segundos)
@ IN
SOA ns.teste.com.br . hostmaster.ns.teste.com.br . (

2003262236
1H
15
14D
12H )
Aqui acima, eu estou dizendo que o meu servidor é o dono do domínio SOA, com a informação do nome da máquina (teste.com.br ), e o responsável hostmaster.teste.com.br .
Dentro dos parenteses, eu estou dizendo o Serial 2003262236 e os parâmetros de atualização, normalmente você pode deixar estes parametros.
teste.com.br .
IN NS
ns.teste.com.br .

Aqui eu digo que o meu servidor teste.com.br possui como seu servidor de dns, a máquina
ns.teste.com.br , que no caso é ela mesma. A flag NS, serve para setar o Name Server.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: